16.4.08

Playlist "Teen Barbarella" no meu iPod!

Nostalgia, mas daquela boa, sabe? Como existem milhares de lembranças na minha cabeça agora, resolvi escrever sobre elas, porque fica ainda mais agradável voltar a fitinha, para isso busquei meu iPod e tratei de colocar na playlist que leva o singelo nome de "Teen Barbarella". Que a louça na cozinha me espere mais um pouquinho.
Atrás do prédio onde moro aqui em São Paulo tem uma escola, e todo dia ouvir as animadas vozes infantis me faz ter saudade do tempo que eu acordava puta da vida, bem cedo, tomava banho, vestia o uniforme, ia pro colégio fazer social, sim, porque eu não via graça nenhuma nessa coisa de estudar, anotar o que a professora falava... eu estava lá era pra trocar bilhetinho durante a aula, achar o pessoal mais velho lindo, inventar formas de matar a aula de educação física, copiar as respostas da lição de casa, para que na hora de mostrar o caderno para a professora, ela não achasse que eu não tinha feito e eu recebesse a advertência de número x que resultava em uma visita à sala da coordenadora... quando cheguei no segundo grau a coisa ficou ainda mais divertida, já que eu me achava muito dona do meu nariz para sair da aula e ficar rodando o centro de Curitiba com minhas amiguinhas, voltando bem tarde para casa... muito malandrinha, hã? A gente achava também que arrasava na leitura de tarot das Bruxas, eu colecionava velas e conhecia tudo sobre os anjos cabalísticos. A gente quer tanto parecer coisas quando somos mais novos, né? Esse período do segundo grau foi justamente o que eu tomei decisões que me arrependo até hoje, mas não quero falar a respeito... teve muita coisa legal, até mais do que qualquer coisa. Comecei a sair nessa época... aaaah que saudade do Legends e do Beatnik!! Que saudade do "Street Opet Crazy" (ô nominho jacu de teta!). É que a playlist selecionou "Breath" do Prodigy, na época eu e umas amigas do grupo de street dance criamos uma coreografia muito complexa para esta faixa, hoje não lembro de nenhum passo, mas lembro que era uma coreografia MUITO rápida, também, né?...
Fez frio ontem aqui, acho que por isso fiquei pensando em momentos da vida, fui criada numa cidade de clima delicioso, Curitiba!! Onde seu armário é cheio de casacos, cachecóis, meias grossas...
Olha!! Voltando ao primeiro grau... "Lump" do The Presidents of the United States of America!! Eu achava essa banda genial! Aliás quase tudo que eu via de rock na MTV nos anos 90 eu adorava! Eu tinha uma coleção de fitas VHS com muitos, muitos, muuuuuitos clipes e especiais, no geral eram as mesmas bandas (essas que estão bombando na "Teen Barbarella" do iPod), muitos posters na parede, de muita gente, mas que foram arrancados para a parede ser toda do Silverchair (psicopata? eu?... eu era mesmo), na verdade era metade Silverchair até no teto, e do outro era Hanson, porque eu dividia o quarto com minha irmã mais nova, a Dayanna. Agora "Jeremy" do Pearl Jam, que me fez lembrar que no período da presidência do "Findaway - Silverchair's Fan Club" (haha) eu era vice do "Even so Pearl Jam" de Joinville, presidido por Camila, nos reencontramos no orkut esses tempos, grande ferramenta revolucionária para vasculhar o baú. Se chamava "Even so Pearl Jam" por causa de "Even Flow", que já existia, e na época descobrimos que "even so" significava "ainda assim" e tivemos uma viagem eterna dizendo que por mais que milhões de bandas aparecessem o Pearl Jam ainda seria foda... coisa de adolescente tiete haha Vi o show deles quando foram para Curitiba, na Pedreira Paulo Lemminski, isso já em 2005 se não me engano, foi sensacional. Silverchair eu perdi duas vezes por ser tão má aluna. Em 96 no Close Up Planet eu estava com péssimas notas, e foi meu castigo, em 2001, no Rock in Rio, eu estava com o ingresso na mão, mas reprovei, e o colégio me deu a chance de fazer um curso de férias, e eu tinha prova de Biologia no dia seguinte ao show deles, fiquei em casa com a porra do ingresso na mão, mas passei não sei como nos três vestibulares que prestei, depois da raiva que passei vendo o show pela TV eu me dediquei, talvez por isso tenha passado, na faculdade fui uma aluna exemplar, e em 2003 eles voltaram, e eu vim para São Paulo pela primeira vez, vê-los no Credicard Hall.
Nessa época eu não via a hora de ficar velha. De passar dos 20... eu lia Capricho escondido e assinava a Bizz, que estava na sua fase "ShowBizz", nome cretino diga-se de passagem. Hmmm... Korn, "Freak on a Leash"! Lembrei da Miriam, ela sumiu por algum motivo, mas eu sempre lembro dela... Bom, onde eu estava mesmo? Ah sim... eu queria ficar velha. Antes de ontem, dia 14, completei 26 anos, e só tenho pensado nas coisas que eu deixei passar nessa vida, perdendo tempo esperando ficar mais velha... Eu tenho uma teoria (sempre) sobre esse ser que me tornei... Até os meus 15 anos eu era uma tonga, mas tonga mesmo, crua de tudo, ingênua (eis que toca "Hand in my pocket" da Alanis, que é bem daqueles dias), mas era uma boa menina. Eu era muito cheia de traumas, sou ainda, mas eu não sabia lidar com dores (ainda não sei) e ficava arrumando coisas para ocupar a cabeça confusa, queria ter uma banda, queria casar com Daniel Johns, queria conhecer a Austrália e a Índia, ser a menina mais legal e foda da escola, esses eram meus objetivos de vida, acreditem! Vivi nesse mundo de fantasia por muito tempo, a menina bobinha que bota banca de fodona, mas eu sabia que era tonga, e isso me irritava. Passei por algumas coisas que não cabe falar, pois decidi não dar mais peso para os traumas da infância e adolescência, entendi finalmente que meus pais são perfeitos, mas na época eu não achava, em especial minha mãe, e quis cair no mundo. Por ser tão crua acabei caindo de cabeça, errando tão feio, andando com gente errada, me viciando em muitas coisas, coisas eu digo em gente, em noite suja, em meio fio, em cigarro, em bebida em drogas, em roupa escura como o espírito estava. Me livrei de vários dos vícios adiquiridos, outros não... o que importa é que os piores se foram, com excessão do cigarro, que vai em breve. Engraçado é que vou escrevendo e parece que são fotos que estou vendo num album, eu queimaria muitas dessa fase dark da qual acabei de falar.
"Again I Go Unnoticied" do Dashboard Confessional (que toca agora) me leva para os tempos de verão em Balneário Camboriú, para visitar a Jana e assistir ao Festival de Punk e Hardcore no Armazem, me lembra os meninos do Caphofo, do Spunk The Monkey, do Debutantes 99, do Duffs... Café Beatnik já citado, o 92 do JR... Fefefo, Juju, Mamá, Pô... a Casa da Ponte, Barbara na versão straight edge, o Coletivo Farsa, shows no DCE. Acho que essa foi uma das melhores fases.
Enquanto eu relia o texto fazendo correções e acrescentando letrinhas, passei por Oasis, Kittie e agora está tocando "Black Hole Sun" do Soundgarden, que eu aprendi a dedilhar no violão, a Miriam que me ensinou, queria tanto saber dela, sempre lembro, impressionante, acho inclusive que fui apaixonada por ela um pouco, pensando bem, mas eu não assumia isso nem pra mim.
Bom... percebi que eu passaria o dia sentada aqui lembrando de coisas ouvindo essas músicas, mas já são quase 11 da manhã, existe uma cozinha me chamando para limpeza e eu devo agir a vida!! O iPod vai pro bolso da calça hoje, passear comigo pela casa, trazendo outras memórias, enquanto me divirto (?) em tarefas domésticas, imagem que eu nunca imaginei quando pensava o que seria de mim aos 26 anos de idade.
Finalizo ouvindo "Nihilism" do Rancid, esperando pelo Bambix, por Green Day, Blind Melon, Candlebox, Nirvana, Bush, RHCP, Stone Temple Pilots, No Doubt, Placebo, Finger Eleven... blá blá blá...

Um comentário:

_allan disse...

e agora? e agora barbarella é um idolo teen :B